• Joseane Terto

Roda de leitura: habilidades de leitura e produção texto


A BNCC define uma série de habilidades importantes para os alunos da Educação Básica e que no ensino da linguagem visa proporcionar experiências que contribuam para a ampliação dos letramentos, de forma significativa e crítica, por meio de diversas práticas sociais permeadas e constituídas pela oralidade, pela escrita e por outras linguagens.


Para isso, a escola precisa criar oportunidades em que os alunos possam se expressar, utilizando-se das práticas de linguagem em situações reais, que realmente façam parte da vida em sociedade, em nossa cultura letrada, com o devido cuidado para nos libertamos desse vício de querer escolarizar a vida.


A articulação das práticas sociais de leitura e escrita geram momentos de aprendizagem e reflexão do sistema de escrita alfabética. E uma das diversas práticas com o trabalho de gêneros está no momento de leitura de histórias com a Literatura infantil, fundamentando a base do ensino da linguagem como forma de interação na perspectiva enunciativa - discursiva, com a pretensão de considerar a função social dos textos utilizados, articulando-os a realidade como reflexão da vida cotidiana, no trabalho com as emoções e temas relevantes para a formação dos nossos alunos.



A BNCC divide as práticas de linguagem em quatro categorias: 1) Leitura/escuta (compartilhada e autônoma); 2) Escrita (compartilhada e autônoma); 3) Oralidade e 4) Análise linguística/semiótica (alfabetização) e logo a seguir oferecemos um quadro com os eixos trabalhados, seus objetos de conhecimento e os objetivos de Aprendizagem e Desenvolvimento. 

Nesta etapa da atividade seguem na tabela abaixo algumas das habilidades propostas pela BNCC, de acordo com o ano de escolaridade.


E finalizando, para o professor formar o aluno leitor, com o desenvolvimento de uma ampla capacidade linguística, aumento no vocabulário e que realize inferências pertinentes é importante organizar atividades de leitura estruturadas como nas sugestões acima e se possível oportunizar situações de convivências com pessoas que conversam e dão oportunidades de diálogo e discussão.


Sabemos que algumas crianças falam mais, outras falam menos, porém todas poderão vivenciar situações comunicativas para exercitar a memória, o pensamento e a linguagem.


Elaborado por:


Profa. Valéria, doutora em Educação pela PUC-SP. Diretora Pedagógica na Apliqueducação onde cria e desenvolve jogos de alfabetização baseados em evidências de pesquisa por conta de sua longa e sólida experiência em sala de aula no Ensino Fundamental, incluindo o trabalho de com alunos da Educação Especial.



124 visualizações

Assine nossa newsletter e fique por dentro!

© 2019 por Apliqueducação.

CONTATO

WhatsApp: 11 99667 8051

E-mail: contato@apliqueducacao.com.br

  • LinkedIn ícone social
  • Facebook
  • YouTube
  • Instagram